O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

PACIFICAÇÃO - Cerimônia reúne fiéis e PMs na Igreja da Penha


Cerimônia reúne fiéis e PMs na Igreja da Penha para marcar a ocupação de comunidades - O DIA, 27/12/2010

Rio - Uma celebração pela paz reuniu, ontem, centenas de fiéis no santuário de Nossa Senhora da Penha, um mês após a ocupação policial do conjunto de favelas da Penha e do Alemão, na Zona Norte. Situada numa região marcada há mais de 30 anos por conflitos armados, a Igreja da Penha voltou a receber fiéis que haviam se afastado por causa da violência.

Depois de 40 anos sem subir as escadarias do santuário com a família, o comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, foi até a igreja acompanhado da mãe e da sogra. “A última vez que estive aqui foi em 1970 com minha mãe. Esse momento mostra que, com o coração voltado para o bem, estamos conseguindo transformar o Rio”, disse o oficial, que assistiu à missa solene presidida por Dom Dimas Barbosa, secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O religioso pediu às famílias que protejam seus jovens das drogas. “Só existe o tráfico porque tem usuário. Quando as famílias conseguirem livrar seus filhos das drogas, a polícia não precisará ir atrás de traficante”, pregou Dom Dimas, que celebrou a festa da Sagrada Família, acompanhado de bandas católicas e do cantor Jerry Adriani.

Após a missa, que teve como tema a “Paz neste Natal e para sempre no Rio”, o padre Serafim de Souza Fernandes, reitor do Santuário, convidou os devotos a participar da Celebração da Luz. Encerrando dois dias de orações pela paz na cidade, fiéis iluminaram as escadarias da igreja com luz de velas. “Nos outros anos, eu vinha com muito medo de tiroteios. Agora graças a Deus podemos vir em paz. Rezei muito por esse momento”, disse a aposentada Magnólia Ferreira, 57 anos.

Nenhum comentário: