O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

PROXIMIDADE - 14ª UPP É IMPLEMENTADA NO RIO


14ª UPP é inaugurada no Engenho Novo - O DIA ONLINE, 31/01/2011

Rio - A Polícia Militar inaugurou na manhã desta segunda-feira a 14ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da cidade, no Morro São João, no Engenho Novo, Zona Norte do Rio. Com um efetivo de 200 PMs - sendo 35 mulheres -, ela atenderá ainda aos moradores do Morro do Matriz e do Morro do Quieto, beneficiando cerca de seis mil moradores dessas comunidades.

O comando desta unidade ficará a cargo do Capitão Bruno Xavier, 31 anos. Nascido e criado nas proximidades da comunidade, o oficial - que há 11 anos está na corporação - já foi subcomandante do Grupamento de Policiamento em Estádios (GEPE) e atuou nos Batalhões da Tijuca (6ºBPM) e de Rocha Miranda (9ºBPM).

De acordo com Secretaria de Segurança Pública, a pacificação do Engenho Novo atingirá indiretamente 12 mil pessoas, entre moradores e comerciantes, nos bairros da Abolição, Cachambi, Encantado, Engenho de Dentro, Engenho Novo, Jacaré, Lins de Vasconcelos, Riachuelo, Rocha, Sampaio, São Francisco Xavier, Água Santa e Todos os Santos.

A ação no Engenho Novo constitui a segunda etapa da parte final de pacificação da Zona Norte - a primeira foi concluída com a instalação, no dia 30 de novembro, da UPP do Morro do Macacos, em Vila Isabel. A Secretaria de Segurança Pública informou que uma terceira fase será necessária para que o programa chegue nos Morros do Encontro e da Cachoeirinha, já no Lins de Vasconcelos.

De acordo com o coronel Robson Rodrigues, comandante das UPPs, as favelas do Morro de São Carlos, no Estácio, na Zona Norte, serão as próximas a receber uma unidade.

Santa Teresa

Na útima terça-feira, dia 25, o governador Sérgio Cabral anunciou que todas as comunidades da região de Santa Teresa, no Centro, receberão UPPs. Segundo Cabral, nos próximos dias, homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Choque e de outras unidades irão reconquistar o território na área. O objetivo do governo - ressaltou Sérgio cabrsl - é pacificar todas as áreas críticas do Rio até o fim de 2014.

UPPs

O Rio já conta com 13 UPPs instaladas e uma em processo de instação. As unidades já funcionam no Andaraí, Batan, Borel, Chapéu Mangueira/Babilônia, Cidade de Deus, Formiga, Macacos, Pavão-Pavãozinho/Cantagalo, Providência, Salgueiro, Santa Marta, Tabajaras/Cabritos e Turano.

Nenhum comentário: