O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

QUANDO O ESTADO QUER, O ESTADO FAZ!

QUANDO O ESTADO QUER, O ESTADO FAZ! - Por Dagberto Reis, Blog do Dag, 29/11/2010

O Estado que arrecada , e arrecada muito,deve,ou deveria, devolver estes impostos em forma de politicas públicas para melhorar a vida das pessoas. Trata-se de um principio democrático do verdadeiro Estado.

Nem sempre ocorre assim. No entanto, quando o Estado realmente quer o Estado faz, porque o Estado pode. A prova esta na ação desencadeada no Rio de Janeiro na Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão,onde o poder paralelo dos chefões do trafico de drogas, há muito tempo desempenhava o papel do Estado a sua maneira na base do terror explorando as deficiências do Poder Público que não cumpre o seu verdadeiro compromisso de cuidar da vida das pessoas. Bastou uma reação forte do Estado ao criar as Unidades de Policia Pacificadoras-UPPs- para que o trafico nervoso desse sinais de que estava acuado.Iniciava ali uma verdadeira guerra civil e o Estado organizado com todos os seus entes mostrava então a sua força vencendo duras batalhas onde contou com o apoio da população, sedenta por paz.

A guerra contra o trafico esta longe de ser vencida. Agora o Estado além da segurança e da reconquista da confiança da população com o policiamento comunitário, precisará investir em infra-estrutura urbana, saúde, educação, cultura e lazer nestas comunidades para que então possa ganhar a guerra.

Certamente não será uma tarefa fácil, mas o caminho foi aberto, comprovando que quando existe a vontade politica para a transformação não existe mudança impossivel e o verdadeiro Estado democrático e de direito pode ser restabelecido.

Para que tudo de certo, tanto no Rio de Janeiro, quanto em qualquer lugar deste Brasil, é preciso que o Estado seja muito mais do que um mero arrecadador de impostos.

A implantação de politicas sociais que dialoguem com aquilo que deseja a população,beneficiando aqueles que mais precisam, permitindo o equilíbrio social e econômico, podem ajudar a realmente mudar este quadro.Do contrário teremos apenas uma trégua com retorno anunciado.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Realmente. Quando o Estado quer, o Estado faz! Só que para muitos "especialistas" o "Estado" é apenas o Executivo. Esquecem que o "ESTADO" é uno e indivisível e funciona através dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Um complementando o outro e cada um com uma função precípua. Existem muitas mazelas que impedem o funcionamento da justiça, aumentam a desconfiança no Congresso e nos políticos e estimulam cobranças abusivas de impostos sem contrapartida em serviços públicos.

ENTRETANTO, QUANDO ESTE TRÊS PODERES SE UNEM, ENTRAM EM HARMONIA E ATUAM INTEGRADOS, UNS COMPLEMENTANDO OS OUTROS, NÃO HÁ RESISTÊNCIA.

SEGURANÇA PÚBLICA É UM CONJUNTO DE AÇÕES E PROCESSOS ADMINISTRATIVOS, JURÍDICOS E JUDICIAIS VISANDO A PRESERVAÇÃO DA ORDEM PÚBLICA (PAZ SOCIAL), DA VIDA E DO PATRIMÔNIO DAS PESSOAS.

O POLICIAMENTO COMUNITÁRIO É UM TIPO DE POLICIAMENTO QUE FACILITA A INTEGRAÇÃO POLÍCIA-COMUNIDADE NA PREVENÇÃO E CONTRA O CRIME. AS UPPS RECEBEM ESTE NOME SUGESTIVO PORQUE REPRESENTA A PACIFICAÇÃO DO RIO.

EM LIVRAMENTO, FOI FÁCIL IMPLEMENTAR A FILOSOFIA DE POLICIAMENTO COMUNITÁRIO, POIS ENCONTREI ÓTIMOS POLICIAIS E LÍDERES COMUNITÁRIOS COM ESTE ESPÍRITO E DEDICAÇÃO ÀS COMUNIDADES. POR ISTO, ATINGIMOS UM SUCESSO EM POUCO TEMPO. PENA QUE NÃO TEVE CONTINUIDADE.

Nenhum comentário: