O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

PATRULHAMENTO INTELIGENTE


Viaturas da PM de São Paulo vão ganhar câmeras e 'GPS do crime'. Tecnologia deve evitar falhas em procedimentos; 'Sistema é inédito no mundo', diz tenente-coronel - 31 de agosto de 2010 - Marcelo Godoy - O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO - A PM prepara um pacote para mudar o patrulhamento nas ruas do Estado de São Paulo. Ela vai instalar câmeras em seus carros e um computador de bordo que vai avisar aos policiais quando se aproximam, por exemplo, de um bar onde há denúncia de venda de drogas ou de um cruzamento em que ocorrem muitos assaltos.


A aposta da PM na tecnologia obedece à lógica de que os novos sistemas devem melhorar a eficiência e a segurança. Devem ainda aumentar o controle dos supervisores, que poderão verificar possíveis falhas nos procedimentos e até desvios de conduta ou servir de prova para comprovar a legitimidade da ação.

A tecnologia também deve mudar a vida do paulistano. Quem se envolver em um acidente de trânsito, por exemplo, receberá do agente uma senha com a qual poderá, após 48 horas, entrar na web e obter uma cópia do B.O.

O sistema acoplado a um GPS vai avisar quem são os ladrões que costumam agir na região e mostrar fotos dos suspeitos. Também vai indicar o trajeto que a viatura deve fazer, de acordo com índices de criminalidade online. Um sensor mostrará quando o carro e os policiais estão em perigo.

"Esse sistema é inédito no mundo", diz o tenente-coronel Alfredo Deak Junior, que chefia o Centro de Processamento de Dados da PM e é um dos responsáveis pelo projeto.

Também será possível ver onde cada carro está, qual é a viatura mais próxima (em caso de ataque) e ainda gravar o trajeto do patrulhamento e dizer quanto tempo e onde se ficou parado. Os computadores envolvem um investimento de R$ 32 milhões em 2010 e 2011. Na primeira fase do projeto (R$ 12 milhões, em 2010), somente os 4 mil carros da capital terão o equipamento.

Câmeras. Já as câmeras devem custar R$ 600 mil neste ano. Por enquanto, elas vão equipar apenas os 240 carros do policiamento de trânsito da capital. Os testes começaram na semana passada, com quatro modelos.

A primeira fase do projeto prevê que as imagens das duas câmeras que serão instaladas em cada carro sejam gravadas. Elas serão descarregadas automaticamente, por rede Wi-Fi, cada vez que a viatura voltar ao quartel. O processo será automático e o gravador ficará embutido dentro do carro para evitar qualquer contato do policial ou de terceiros.

No próximo ano, a PM vai levar as câmeras para os carros que patrulham os bairros - o aparelho à frente gravará abordagens e perseguições e o de trás, garantirá a segurança. Os dados serão passado online para o Copom. Com o acesso online será possível ao comandante acompanhar qualquer ação - e despachar reforço, se necessário. O que emperra essa parte do programa é o custo, estimado em cerca de R$ 2 milhões por mês.

PM vai usar viatura Big Brother. Segundo o comandante-geral, 240 veículos de patrulhamento terão câmeras de 360 graus no teto. Outra novidade é o GPS - CRISTINA CHRISTIANO, DIARIO DE SÃO PAULO, 30/10/2010

A Polícia Militar atribui ao grande investimento feito em tecnologia a redução dos índices de criminalidade em todo o estado, principalmente em relação aos homicídios dolosos (com intenção), que em setembro registraram a taxa mais baixa dos últimos 14 anos: 8,4 por 100 mil habitantes. A nova aposta agora são as viaturas equipadas no teto com câmeras de filmagem 360 graus, semelhantes às usadas no Google Street View.

"Fizemos um teste com elas no trânsito da Capital e foi um sucesso. Nos próximos dias, outras 240 câmeras serão instaladas em viaturas", antecipa o comandante-geral da PM, coronel Álvaro Camilo. Segundo o coronel, o equipamento servirá também para proteção do policial, porque, sem sair do carro, ele estará de olho em tudo à sua volta. As imagens também ajudarão a analisar a ocorrência.

"Agora, ninguém mais poderá falar que o fato não ocorreu porque tudo estará gravado", explica o comandante.

Outra novidade da PM é a instalação de GPS em todas as viaturas. "Isso permite ao Centro de Operações (Copom) deslocar o policial que está mais próximo do local da ocorrência para que possa chegar mais rápido", explica. Segundo o coronel, o equipamento também será entregue aos PMs que fazem patrulhamento a pé. "O GPS ficará no bolso e, assim, qualquer situação de emergência será constatada on-line.

O coronel Álvaro Camilo afirma que, com a tecnologia, é possível fazer a redistribuição inteligente do policial para a realização de um trabalho preventivo. "Hoje, com o mapeamento dos locais de criminalidade, sabemos exatamente por quais ruas o PM tem que passar, quanto tempo parar em cada uma e quais são os criminosos que moram e atuam na região", explica. Para ele, a participação da população, denunciando o crime, também é fundamental.

Latrocínio tem queda de 13,8% no terceiro trimestre

A queda nos índices de criminalidade atinge também os latrocínios (roubos seguidos de morte), que tiveram redução de 13,8% no terceiro trimestre do ano, em comparação a igual período de 2009, quando foram registrados 80 crimes no estado.

Segundo o comandante da PM, coronel Álvaro Camilo, a presença do policial militar nas ruas e a rapidez no atendimento da ocorrência têm contribuído muito para prevenir o crime de um modo geral. "Hoje temos respostas rápidas para todo tipo de atendimento e em qualquer situação", afirma o comandante. Os índices de criminalidade mostram ainda que, no trimestre, houve queda de 8,5% nos roubos; 2,5% nos roubos de veículo e 1,6% nos furtos. Mas, em contrapartida, foram registradas altas de 1,8% nos furtos de veículos e de 5% nos homicídios culposos (sem intenção de matar).

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Este projeto poderá orientar os supervisores e os policiais encarregados do patrulhamento local sobre o cenário em que estão atuando. A partir de um diagnóstico inserido no programa que identifica os locais de risco, os contatos importantes, o tipo de crime e os possíveis suspeitos, os policiais terão disponível toda a informação para a prevenção do crime, objetivo principal do policiamento ostensivo. Parabéns ao Governo e à PM de São Paulo.

Nenhum comentário: