O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

LOGOTIPO DESCREVE FILOSOFIA, CARACTERÍSTICAS E PRINCÍPIOS DO POLICIAMENTO COMUNITÁRIO



Em 01/10/1997, em Cruz Alta, durante o lançamento da filosofia de policiamento comunitário naquela cidade, apresentei um logotipo que pudesse refletir a filosofia, as características e os princípios básicos do policiamento comunitário necessários ao exercício deste tipo de policiamento ostensivo para facilitar o entendimento e a interação dos policiais e das pessoas das comunidades onde o serviço policial seria executado.

A elaboração do logotipo baseou-se em figuras geométricas representando pessoas dentro de uma redoma tendo abaixo dela a inscrição "POLICIAMENTO COMUNITÁRIO" e "RESPONSABILIDADE DE TODOS". O primeiro ponto de vista mostra uma figura sombreada com o símbolo da polícia ostensiva na cabeça, representando o "protetor", o "anjo da guarda humano", a "atividade preventiva", as "relações interpessoais" e a "interação com a comunidade", e a característica da "ação de presença", ladeado por duas outras figuras sombreadas que representam as pessoas da comunidade local.

Sob outra ótica, aparecem figuras ocultas que envolvem as demais, representando os poderes de estado, as entidades organizadas e as instituições de coação, justiça e cidadania, participantes do conjunto de processos administrativos, jurídicos e judiciais necessários à preservação da ordem pública. A responsabilidade é de todos! Os Poderes de Estado cumprindo seus deveres e funções precípuas e o Cidadão respeitando a leis, exigindo seus direitos e apoiando o Estado no exercício da preservação da paz social, da vida e do patrimônio das pessoas.

A redoma que abriga as figuras geométricas significa a situação protetora, o compromisso e o comprometimento com o local de trabalho, a organização da comunidade na prevenção das ilicitudes e o cumprimento do princípio da "responsabilidade territorial".

Este logotipo acompanhou a aplicação do POLICIAMENTO COMUNITÁRIO em Passo Fundo (1998) e Santana do Livramento (2000) e foi proposto para o programa da Brigada Militar em todo o Estado do Rio Grande do Sul recebendo as três cores da bandeira. Infelizmente ficou no limbo.

Nenhum comentário: