O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

sábado, 22 de outubro de 2011

PACIFICAÇÃO - UPP DA MANGUEIRA

UPP da Mangueira será inaugurada em até duas semanas, diz Beltrame - O GLOBO, 21/10/2011 às 23h31m; Isabela Bastos

RIO - Dois dias após a prisão no Paraguai de Alexander Mendes da Silva, o Polegar, chefe do tráfico na Mangueira , o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse que vai inaugurar a UPP da comunidade em até duas semanas. Beltrame visitou a comunidade na tarde desta sexta-feira, e fez uma vistoria da montagem dos contêineres nos quais vão funcionar as bases e a sede da UPP, que será a 18ª de um total de 40 instaladas em todo o estado.

O secretário visitou a Mangueira, segundo ele, para verificar o andamento da montagem das bases da UPP, que deverá ter 403 policiais.

Segundo a secretaria, a sede administrativa provisória da unidade funcionará na localidade de Parque Candelária. Com dois andares, a sede ainda está sendo arrumada.

A UPP terá ainda outras duas bases, uma na localidade de Caixa D'Água e outra no Morro do Tuiuti. Uma sede definitiva da UPP ainda será construída em alvenaria na localidade de Telégrafos, com acesso pelo Buraco Quente, na Mangueira. Quando o prédio ficar pronto, a sede de Parque Candelária será transformada em base operacional. O Complexo da Mangueira foi ocupado pelo Bope em 19 de junho.

Perguntado sobre as ações sociais que acompanhariam a instalação da UPP, Beltrame disse que a polícia está abrindo caminho para o poder público:

- O que estamos fazendo aqui é proporcionar que essas coisas venham. A polícia ficará para que outros segmentos do estado e da sociedade façam a sua parte.

O complexo da Mangueira compreende as favelas de Mangueira, Telégrafo, Candelária, Vila Miséria e Bartolomeu Gusmão. Do outro lado do morro, em São Cristóvão, estão as comunidades do Tuiutí, Marechal Jardim e Parque dos Mineiros. As comunidades foram ocupadas pelo Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) em 19 de junho de 2011. O Instituto Pereira Passos estima que 20 mil pessoas morem nessas comunidades.

A operação de ocupação começou em torno das 6h do dia 19 de junho. Por volta das 10h40m, os policiais chegaram ao alto do complexo da Mangueira e hastearam as bandeiras do Brasil e do Estado do Rio. A ação - coordenada pela Secretaria de Segurança, por meio da Polícia Militar e da Polícia Civil, com apoio da Marinha, do Exército, da Força Aérea Brasileira, da Polícia Federal, do Corpo de Bombeiros, da Defensoria Pública do Estado e da Prefeitura do Rio - ocorreu sem troca de tiros ou registro de feridos. Cerca de 750 pessoas participaram da ação. Em seguida, 90 homens do Bope ocuparam a Mangueira, e 80 homens do Batalhão de Choque da PM ocuparam o morro do Tuiutí. Os 3º, 4º e 6º batalhões da PM cuidaram do cerco ao complexo.

Perguntado sobre a possibilidade da transferência do traficante Polegar ainda nesta sexta-feira para um presídio federal , Beltrame disse que tudo dependerá da decisão da Justiça e da agilidade de logística do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

- Se isso não for equacionado ainda hoje (sexta-feira), Polegar será levado para Bangu (o complexo penitenciário de Gericinó) - disse o secretário.

Beltrame disse ainda que os novos carros, com computadores de bordo, GPS e chips de controle de gastos de combustível, deverão começar a ser equipados com câmeras em dezembro. O secretário reclamou da burocracia do serviço público, que, segundo ele, atrasa a modernização dos equipamentos:

- Gostaria de ter feito isso há dois ou três anos. Para se chegar a esses terminais de bordo, não imaginam a luta que isso envolve.

Nenhum comentário: