O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

terça-feira, 5 de julho de 2011

BM DE SAPUCAIA DO SUL APROXIMA O POLICIAMENTO OSTENSIVO

BRIGADA MILITAR DE SAPUCAIA DO SUL INSTALA POLICIAMENTO COMUNITÁRIO NO BAIRRO MULTIFORJAS EM SAPUCAIA DO SUL. http://roniecoimbra.blogspot.com - 03/07/2011

Há duas semanas a Brigada Militar de Sapucaia do Sul está em processo de instalação do policiamento comunitário na localidade conhecida como invasão da Multiforja, no bairro Pasqualini.

Multiforja é uma comunidade que surgiu nos anos 80 em função de uma invasão de terras com o objetivo de moradia. Em razão disto, ainda, naquela comunidade são precárias as condições de saneamento básico e infra-estrutura, expondo a latente vulnerabilidade social dos moradores. Dezenas de vielas e becos, criadas a época das invasões, dificultam a entrada de viaturas, ambulâncias e caminhões do corpo de bombeiros. Hoje são usadas por traficantes para se esconderem das forças policiais. Estatísticas atuais, de ações e operações realizadas pela Brigada Militar, apontavam o local como abrigo de pontos de tráfico de drogas, paradeiro de foragidos e usuários de drogas, e local de desova e comércio de veículos furtados ou roubados.

A população moradora da comunidade, refém da delinqüência, clamava por ações positivas das instituições públicas na região. A Brigada Militar, embora com ações, no local, que resultavam em prisões, apreensões de drogas e armas e recaptura de foragidos da justiça, entendeu que as medidas não eram suficientes e nem eficientes, pelo que desencadeou, há cerca de 10 dias, um processo de aproximação comunitária no bairro Multiforja, com o fito de proporcionar paz e ordem aos moradores.

Policiais foram empregados de forma ininterrupta, nos processos a pé e motorizado, com viaturas automóveis e motocicletas, inicialmente momento para conhecer a realidade e conversar com os moradores para diagnosticar a real problemática social, e depois atuar com focos bem definidos e determinados.

Nos primeiros dias houve certa resistência de alguns moradores em relação à presença da Brigada Militar, principalmente daqueles vinculados ao tráfico de drogas.

No terceiro dia da ação enquanto os policiais faziam o contato comunitário a pé pelo bairro uma viatura foi apedrejada. No quarto dia alguns moradores, visivelmente relacionados ao tráfico de drogas, escreveram mensagens nas ruas referentes à presença da Brigada Militar.

A partir do quarto dia a comunidade já estava mais confiante na presença permanente da Brigada Militar no bairro. A partir deste dia diversas denúncias anônimas foram efetuadas à Brigada Militar que levaram a prisão de traficantes e apreensão de dinheiro usado pelo tráfico, bem como apreensão de veículos irregulares, roubado e clonado.

Na tarde de 01 de julho de 2011, o Batalhão Ambiental, representantes da a AESul, da Secretaria Municipal da Indústria e Comércio e Corpo de Bombeiros somaram esforços na ação.

O capitão Célio Vargas subcomandante do 33º BPM e que comandou a investida frisou: “Aquele local constitui uma central de traficantes que são responsáveis por vários crimes nas localidades adjacentes tais como furtos em gerais e roubo à pedestres. Sobretudo ao aumento diário do número de usuários constituindo-se em uma verdadeira epidemia na cidade”. Conclui: “a Brigada Militar vai permanecer no local por tempo indeterminado diante da aceitabilidade e dos elogios recebidos daquela comunidade, composta em quase sua totalidade por pessoas de bem”.

Depois do início da ação, algumas casas foram abandonadas, outras postas à venda e terminaram-se o fluxo de usuários. Carcaças de veículos abandonados foram recolhidas, lâmpadas serão trocadas e serão instalados novos postes de luz para melhorar a iluminação no bairro.

Até o momento quatro traficantes foram presos, um veículo roubado foi recuperado e um receptador foi preso. Um homem que furtava energia elétrica para seu comércio foi preso em flagrante, bem como R$ 3.600,00, supostamente vinculados ao tráfico de drogas, foi apreendido.

Cerca de 80 usuários foram abordados e identificados. As ações irão continuar por tempo indeterminado sempre interagindo com a comunidade passando credibilidade e confiança para os moradores e a real idéia de que a Brigada Militar está no local para ajudar a todos levando paz e segurança.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - São iniciativas deste porte que a sociedade espera da Brigada Militar. Parabéns. Quem tiver tiver tido experiências ou estiver aplicando o policiamento comunitário, aproximado ou participativo mande para nós que teremos a honra e a satisfação de publicar e apoiar. Se precisarem de nossos préstimos, estamos à disposição para serviços leves e...se puder com salários de magistrados. Caso contrário, faremos tudo de graça, apenas pela solidariedade em nome da filosofia que sempre defendi, estudei, apliquei e defendo para o que o policial ostensivo possa permanecer no posto, interagir, demandar, orientar e se comprometer com a comunidade local na prevenção e contenção dos delitos.

Nenhum comentário: