O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

POLICIAMENTO INTELIGENTE CHEGA AO DF

Agência Brasília, Jornal de brasília, 16/02/2011

O Governo do Distrito Federal dá início, hoje, ao policiamento inteligente no Distrito Federal. Foram entregues, às 10h, na Praça do Buriti, 100 viaturas e seis ônibus de comando móvel, que atuarão em policiamento preventivo, situações de crise e eventos de grande porte, inclusive para a segurança da Copa das Confederações (2013) e da Copa do Mundo (2014).

Um dos ônibus, denominado Comando Geral Móvel, possui dois andares e foi usado, em caráter experimental, nas posses do governador Agnelo Queiroz e da presidenta Dilma Rousseff. Outros cinco foram transformados e adaptados em Centrais Móveis. A tecnologia dos veículos é de vanguarda e uma das únicas da América Latina, produzida pela Polícia Militar do Distrito Federal a partir de estudos realizados por policiais em 2007, na França.

Todos os ônibus possuem sala de reunião, alojamento, copa e banheiros, além de equipamentos para videomonitoramento externo, acesso à rede telefônica e internet, sistema de pesquisa a banco de dados, proteção contra incêndio e cofre para armamentos. Foram investidos R$ 8,260 milhões nos seis ônibus.

Os ônibus serão efetivamente utilizados a partir da próxima semana, quando termina o treinamento dos 50 PMs, que se apresentaram voluntariamente, para se tornarem aptos a conduzir e manusear os veículos. Cada um será destinado a um Comando de Policiamento Regional Militar (CPRM).

A renovação inicial da frota irá ocorrer em outras etapas no decorrer do ano para aumentar a vida útil dos veículos, melhorar as condições de trabalho dos policiais e, com isso, oferecer mais segurança e assistência à população. A expectativa é que sejam feitas mais cinco entregas este ano, incluindo carros, motos e caminhonetes.

“A renovação da frota é o primeiro passo para o policiamento inteligente. Queremos ampliar as câmeras de monitoramento na cidade, retomar o projeto Paz no Trânsito, trabalhar uma atividade preventiva do nosso policiamento, dando condições adequadas e confortáveis aos nossos policiais. O GDF tem compromisso com a segurança pública e quer transformar a nossa capital na cidade mais segura do país”, afirmou o governador Agnelo Queiroz.

As 100 viaturas, que irão atender a todo o DF a partir de amanhã, serão distribuídas seguindo os seguintes critérios: densidade populacional de cada região, número de policiais na área, índices de ocorrências policiais e idade da frota local. Os carros são da marca Fiat, modelo Pálio Weekend 1.8, equipadas com cubículo, rádio e ar condicionado. O governo local investiu R$ 4,240 milhões na aquisição dos carros, de recursos do Fundo Constitucional do DF.

Militares viajaram para o Japão para fazer curso de policiamento comunitário. Da redação do clicabrasilia.com.br - 16/06/2010

Na madrugada desta sexta-feira (11), policiais militares de 10 estados e do Distrito Federal viajaram para o Jopão, onde participarão de um curso de policiamento comunitário, o Kodan. O sistema funciona com três policiais, por turno, numa base e tem como alvo coletar as opiniões da população sobre questões relacionadas à segurança. O sistema também defende a integração da ação policial com os moradores de uma determinada região.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) enviou sua primeira turma em 2008, quando ficou firmado um convênio Federal com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA). Em São Paulo, a filosofia desse tipo de policiamento já é aplicada desde 1999.

O governo brasileiro vai arcar com as despesas das passagens dos policiais- 13 ao todo, incluso dois dirigentes - e as diárias, até mesmo o valor da hospedagem. Todo material didático, tradução simultânea e traslados pela capital do Japão também é responsabilidade do governo.

Nenhum comentário: