O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

terça-feira, 21 de junho de 2011

FURTOS NO CENTRO - BM IRÁ USAR PATRULHAMENTO MONTADO


Cavalos serão usados no policiamento do Centro de Porto Alegre - ZERO HORA 21/06/2011

Preocupado com a repercussão das imagens divulgadas por Zero Hora na edição de ontem, o comandante da 1ª Companhia do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), major André Luiz Córdova, confirmou ontem que a Brigada Militar passará a usar cavalos de forma permanente para reforçar o policiamento no centro de Porto Alegre.

A intenção com a medida é que as rondas sobre quatro patas complementem o trabalho atualmente feito por PMs em viaturas, a pé e de bicicleta.

Apesar de reconhecer que os casos de furtos e roubos a pedestres estão entre os principais problemas da região central, Córdova disse que os registros envolvendo os dois crimes sofreram uma queda na área central.

Segundo o major, de janeiro a maio teria havido uma redução de 36% nos roubos a pedestres em relação ao mesmo período do ano passado.

No que se refere aos furtos, a queda seria de 28%. O major Córdova, porém, não forneceu os números completos.

Sobre a liberação do rapaz preso ontem, o comandante não escondeu a frustração.

– Às vezes prendemos, cinco, 10 vezes a mesma pessoa. A gente prende, prende, prende e o meliante é solto. Depois quem é o criticado? Mesmo assim, vamos continuar fazendo nosso papel e pedimos que as pessoas colaborem, inclusive nos ajudando a identificar suspeitos. Todos precisam fazer sua parte – disse o major.

Nenhum comentário: