O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

EXECUÇÃO DE ZELADOR QUE RECLAMAVA DA BANDIDAGEM.

LEI DO CRIME. Zelador é morto com nove facadas - Zero Hora, 09/02/2011

Pelo menos nove facadas pelas costas foi o preço imposto pelo crime ao silêncio do zelador Luís Carlos da Silva Cardoso, 33 anos, em Tramandaí. O corpo dele foi encontrado ontem na beira da praia. A polícia já teria dois suspeitos do crime.

– A vítima vinha sofrendo ameaças de traficantes, mas não era envolvido com a criminalidade. Na verdade, reclamava da presença deles próximos da sua casa – afirma o delegado Cassiano Cabral.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Esta notícia acima revela o quanto é difícil para um cidadão achar coragem para zelar pela sua comunidade ou seu local de trabalho contra a atos da bandidagem. É a mesma pena para que ousa colaborar com a polícia.

Os brasileiros estão abandonados pela lei, pela justiça e pelos demais instrumentos de ordem, justiça e cidadania. A impunidade, as benevolências, as punições brandas e os regimes que são portas abertas para as ruas são estímulos que encorajam a bandidagem para agir, submeter vontades e eliminar os obstáculos que possam impedir a ação criminosa e o domínio de territórios e comunidades. São mazelas que detroem as iniciativas de colaborar e de confiar num Estado em desarmonia, numa Justiça fraca e morosa e numa Polícia dividida e de esforços inúteis.

E confiança é o cimento que une cidadão e polícia no combate ao crime através da filosofia e estratégias de policiamento comunitário.

Nenhum comentário: