O Policiamento Comunitário ou de Proximidade é um tipo de policiamento que utiliza estratégias de aproximação, ação de presença, permanência, envolvimento e comprometimento com o local de trabalho e com as comunidades na preservação da ordem pública, da vida e do patrimônio das pessoas. A Confiança Mútua é o elo entre cidadão e policial, entre a comunidade e a força policial, entre a população e o Estado. O Comprometimento é a energia.

Esta estratégia de policiamento visa garantir o direito da população à segurança pública, mas, tendo em vista que confiança é essencial, o sucesso depende de policiais preparados, do apoio da sociedade organizada, das comunidades, de leis respeitadas e da interação entre poderes, instituições e órgãos envolvidos num Sistema de Justiça Criminal que exige finalidade pública, observância da supremacia do interesse público, valor à vida das pessoas, comprometimento, objetivo, coatividade, instrumentos de justiça ágeis, execução penal responsável e forças policiais bem formadas, respeitadas, valorizadas, especializadas, atuando no ciclo completo e capacitadas em efetivos para exercer função essencial à justiça na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

domingo, 21 de outubro de 2012

NYPD: MISSÃO, VALORES E VISÃO DE FUTURO


 

 O Departamento de Polícia de New York existe para proteger a vida e a propriedade dentro da lei, manter a ordem na comunidade, reduzir o crime e o medo de crime nos bairros, com grande respeito à dignidade humana e de acordo com os padrões mais altos de habilidade profissional, integridade e responsabilidade.


 

VALORES DO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA DE NEW YORK: 

Em parceria com a comunidade, nós nos empenharemos a:

- Proteger as vidas e a propriedade de nossos concidadãos e com imparcialidade fazer cumprir a Lei;


- Combater o crime, prevenindo o crime e impedindo a ação dos violadores da Lei;


- Manter o mais alto padrão de integridade que geralmente é esperado dos outros, tanto quanto é esperado de nós;


- Valorizar a vida humana, respeitar a dignidade de cada indivíduo e fazer os nossos serviços com cortesia e civilidade.





ONDE ESTAREMOS NO FUTURO:

- Os policiais de bairro, maior recurso do Departamento, serão dispostos ao longo da cidade à disposição dos residentes;

- Toda a Organização policial refletirá o compromisso do "community policing":


- Os esforços do Departamento em administrar as crises diárias da cidade puxarão as forças políticas da comunidade, mas não prejudicará seu compromisso com os bairros da cidade;


- A estratégia de policiamento do Departamento enfocará a solução de problemas nos bairros através do policiamento em lugar de um rápido atendimento policial, simplesmente movido por uma chamada:

- Os membros do Departamento irão desenvolver novas habilidades e competências para refletir esta mudança de estratégia de policiamento;


- Os policiais comunitários terão uma maior habilidade para compartilhar a informação com os detetives e a prisão de criminosos será melhorada, obtendo um resultado importante na estratégia de policiamento;


- O principal papel dos supervisores de linha e gerentes são as mudanças. Eles trabalharão para assegurar o sucesso do policial comunitário.


(Policing New York City in the 1990s, The Strategy for Community Policing. Lee P. Brown, Police Commissioner, NYPD, Janeiro, 1991)

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Para os governantes que estimulam e investem neste tipo de policiamento e para os Comandantes das corporações policiais, gostaria de ressaltar três pontos fundamentais deste texto:

1. O motivo da existência da força policial - Pode ser comparado à uma questão fundamental e prioritária tratada nos planos estratégicos das grandes empresas: "qual é o meu negócio?"

2. Os valores podem ser difrentes, mas não fogem da integridade, imparcialidade, moralidade, eficácia e respeito à dignidade;

3. O papel dos supervisores de linha e gerentes (Comandantes) - Aqui reside o principal foco do naufrágio deste tipo de policiamento. Se for tratado com descaso este papel, a eficácia será minada por uma resistência causada pelo desconhecimento, despreparo, desmotivação e sentimento de perda de poder. De nada adianta elaborar os planos, publicar em mídia e formar policiais treinando-os para atividades de aproximação, relações interpessoais e ações proativas, se os Comandantes nao estiverem comprometidos e preparados para uma mudança operacional que delega a decisão executora para o comandante responsável  pelo policiamento ostensivo no bairro e pelas metas de equipe que deve alcançar junto ao seu superior imediato. Junto a isto, soma-se a supervisão, o apoio e o controle direto dos meios empregados pelos Comandantes de área e de bairro.

Nenhum comentário: